agosto 03, 2010

CUIDADO! Estudantes de Economia Armados

Poucos meses depois do retorno ao Brasil, tive que reformular uma piada antiga que já circulava nos (bons) mestrados do país*: o Dynare é uma arma da macroeconomia, e, como tal, só deveria ser utilizado com licença prévia, com garantias de permanência em mãos capazes. As consequências do uso indevido do programa podem ser irreparáveis.

Abraços!

(*) A piada, na minha época, relacionava o uso do E-views nas cadeiras de econometria.

5 comentários:

Anônimo disse...

Nossa espero que seja somente uma piada mesmo, pois senti algum grau de arrogância, ou seja somente Phd dos EUA podem usar?
Doutorandos em economia do Brasil não?

Abraço

Esse pessoal do Depep do Bacen se acham os pseudo-deuses da área da monetária, mas publicação em working paper do Bacen também não é critério de qualidade, muito menos Phd em Duke University

Saudações acadêmicas

Angelo M. Fasolo disse...

Ok, ok, alguém ficou sensível. Explico a piada com outra piada: trocar o livro de macroeconomia pelo manual do Dynare é uma arma e, como tal, só deveria ser utilizado com licença prévia, com garantias de permanência em mãos capazes. As consequências da troca podem ser irreparáveis.

Pior que explicar piada é ter que aguentar comentários como este: garanto que tem muita gente boa, em programas de doutorado no Brasil, usando o Dynare; o anônimo sensível aí de cima não é um deles, definitivamente.

Abraços, e obrigado pela visita.

Chris disse...

hahahahahahaha! Divertido!!

Anônimo disse...

Se isso foi uma piada, foi a mais cretina que já li na vida.

Caras como Favero e Canova utilizam o Eviews, assim como Fernandez-Valverde, Rubio-Ramires, Christiano and many others utilizam o Dynare.

Saber utilizar um solver numa linguagem qualquer não faz de ninguem bom economista. E não saber utilizar não faz de ninguem mal economista.

Alias, para mim, os FODOES do Bacen tem postado papers que soam mais como aberrações matemáticas do que modelos econômicos, com trocentas equações e ZERO intuição. Daí você assiste o cara apresentar e ele usa o velho argumento: "achamos que Brasil é assim e melhora o fitting".

Qual a diferença entre usar um modelo mal especificado e um modelo tosco? Pra mim, as conclusões a partir de ambos seriam bastante equivocadas, caso o intuito seja quantificar efeitos.

Angelo Marsiglia Fasolo disse...

Andas em bons lugares, já que esta foi a pior piada da sua vida. Parabéns! Porém frequentas os blogs errados.

Passar bem!