fevereiro 13, 2009

Boto Cor-de-Rosa

Ah, boto! Eu sabia que tu ia dar a cara! Estava demorando! Com a sutileza de uma Kombi, a agilidade de um elefante, mas ainda um boto! Qual é o problema, boto? O olho da sogra estava muito doce, deu indigestão? Ou o novelo de lã (dela) emaranhou e tu não sabes desfazer os nós? Boto, boto... tsc, tsc... que coisa!

Boto cor-de-rosa, vou te dar uma dica: pedala, boto!!! Vai fazer teu tratamento! Eu não precisei, mas parece que o teu chapéu está tapando o buraco por onde respiras. Levanta a cabeça, vem para a superfície, mas não faça mais isto, boto cor-de-rosa. Pega a tua donzela e vai ser gauche na vida, boto cor-de-rosa. Ela também ficará da tua cor (é meio cinzento, eu sei, mas tu sabes o que fazer)! Larga de frescura, porque como já dizia o poeta, a inveja não é mais do que matéria fecal.



Abraço!

5 comentários:

Cláudio disse...

Caraca, o post mais misterioso que eu já vi :-).

Angelo M. Fasolo disse...

E deixa assim, pq se eu explicar, vou ter problemas... ahahahahahahah

Só posso dizer que, depois que leu o post, minha esposa perguntou se eu tinha fumado alguma coisa. Depois que expliquei, ela concordou que eu não podia ir além disto mesmo. ahahahaha

Menin disse...

O mistério do boto me lembra outro mistério mais cabeludo:

Afinal, pq a rima "You and me, chuchu e caqui"?

abraço,

Angelo M. Fasolo disse...

Temos que chamar o Cuca para ele nos buscar com o Chevy e irmos ao morro ou ao 252 para voltar ao tema de tamanha relevância! Certas discussões não podem se perder no tempo.

Abraço!

Chris disse...

O pior da historia do boto e' que corre-se o risco de vc ter atirado no que viu e acertado o que nao viu... hahahahahaha! (e eu ainda estou mordendo os dedos para nao digitar o comentario que queria sobre o post... hahaha!)