junho 16, 2009

Crise: Tendência X Choque

Uma idéia: o pior da atual crise econômica talvez não seja o choque em si (a paralisia do crédito, as firmas demitindo, as empresas fechando), mas a eventual mudança na tendência de crescimento. Eu comecei a escrever um longo texto para tratar do assunto, mas me dei conta que uma figura poderia resumir a idéia. Se, na figura abaixo, você não entender por que a linha azul descreve uma trajetória mais favorável de crescimento em relação à linha vermelha, posso recomendar alguns bons livros de macroeconomia.



Abraços!

P.S.: Propositalmente, a linha azul descreve um choque instantâneo maior que o da linha vermelha.

6 comentários:

Anônimo disse...

Bem... estou aberto a recomendações

Angelo M. Fasolo disse...

Para simplificar bem a resposta: a despeito de ser um choque menor no impacto, a mudança no patamar de crescimento da "economia vermelha" gera um efeito permanente sobre o bem-estar (medido pelo produto da economia); por outro lado, o efeito do choque da "economia azul" é apenas equivalente ao efeito do choque, já que a taxa de crescimento não se altera.

Por isto eu acredito que os principais efeitos da crise ainda estão por ser medidos: não são as variações do último trimestre de 2008 e o primeiro de 2009 que interessam, mas a velocidade de recuperação daqui para frente.

Livro para entender o problema mais básico: Barro e Sala-i-Martin de crescimento econômico.

Abraços!

Cristiano M. Costa disse...

Excelente o PS!
Rumo ao Tri da América!
Abraço!

Angelo M. Fasolo disse...

Não faria sentido, mesmo, colocar dois choques de mesma magnitude para explicar a questão. Por isto fiz questão de frisar a diferença de impacto.

Tá confiante, hein? Eu prefiro ficar quieto.

Abraço, Cristiano!

mmartinelli disse...

Vc por acaso fez o teste de raiz unitária?
Abs,
Marcelo

Angelo M. Fasolo disse...

Oi Marcelo!

Muito bem lembrado o tópico, vale um post sobre isto. Vou ver se escrevo ainda hoje.

Abraços!