julho 10, 2006

"Primeiro Final"?!?!?!?!?!?

Blog também foi feito para escrever bobagens, e depois desta semana tive certeza que coloquei em letras garrafais a minha primeira: de onde eu tirei que eu estava fazendo um primeiro encerramento do blog, em função das despedidas necessárias do pessoal do sul???? Que baita bobagem!!!! O título do post sugere um paradoxo com a seqüência de pontos de interrogação e exclamação, e é o que eu quero mostrar que ocorreu neste final de semana.
Existe um paradoxo famoso que diz, em síntese, que é impossível chegar em qualquer ponto do mundo. Como exemplo, supondo que você saia de Brasília e queira ir a Durham, é necessário que se cumpra a primeira metade do trajeto para chegar ao final. Atingida a primeira metade, para chegar no final do caminho, é necessário cumprir a metade da metade; e para a metade da metade, é fundamental a metade da metade da metade... até que se descobre impossível fazer o caminho inteiro, já que sempre faltará 50% do caminho restante. Assim, a conclusão evidente: é impossível chegar a Durham, porque sempre vai faltar metade do caminho restante.
Onde eu quero chegar com isto? É incrível, mas parece que, quanto mais longe eu vou morar, menos despedidas são necessárias, porque eu tenho certeza que os próximos encontros não passarão de um "até logo".
Por exemplo, vejam a foto abaixo:

Para quem não conhece, esta é a minha mãe. Quando fui morar em Porto Alegre, para fazer a graduação, muito choro, olhos esbugalhados, lágrimas (dos dois) que dariam para acabar com a seca na metade sul do RS. Pois bem, passado um tempo, minhas idas e vindas de Bento para Porto Alegre tornaram o "adeus" em "até logo". Quando me mudei para Brasília, esta outra daqui de baixo (vejam a foto) chorou até cansar. A despedida da minha irmã parecia o fim do mundo.

O tempo passou (quase três anos em Brasília!!!), e as despedidas mostravam as saudades, mas sempre com a certeza de que seria fácil nos rever. E, assim, todas as idas ao aeroporto tornaram-se um "até breve".
Pois bem, agora vou para mais longe ainda! E tive certeza, neste final de semana, que, ao invés do "Primeiro Final", este foi o último, já que todas as outras despedidas que ainda estão por vir não passarão de um "até breve" - até porque é impossível ir para muito mais longe!!! E este é exatamente o paradoxo descrito: por maior que seja o esforço, é impossível, na teoria, chegar em um novo lugar; da mesma forma, é impossível, na teoria, dizer "adeus" de forma definitiva, se, a cada retorno ao pago, toda despedida se trasforma em um "até mais", por mais longe que se habite neste mundo.

2 comentários:

Carla disse...

E vamo que vamo que ainda teremos muitas histórias para ler por aqui!!!
Um grande bjo e já com saudades...
Carla

Chris disse...

como assim "é impossível ir para muito mais longe"??? Vc. ainda não desconfiou que eu quero morar na Lapônia??? rs rs rs
E que história é esta de que não terá mais despedidas, só "até breve"? Eu QUERO DESPEDIDAS! De tudo! De todos! Senão, que desculpa a gente vai arrumar para enfiar o pé na jaca com vinho, cerveja, comida boa, família e amigo reunidos????? Ah, não! Como eles dizem lá em Minas, pó pará com iss, sô!!! rs rs rs

E, mesmo depois que tu voltes, ainda terão muitas despedidas...Vc. ainda vai alçar vôos muito, muito, muito mais altos na tua vida, porque você merece! Ainda vão aparecer pós-docs, aqueles cursos de temporada na Suíça, e coisas a fins... tá em você brilhar muito e ainda mais do que já vem fazendo...
Um grande beijo!
TE AMO DEMAIS!
Chris
PS1: promete pra mim que vai te cuidar direitinho estes 4,5 meses sozinho por lá, viu?
PS2: o blog tá muito legal, só senti falta da documentação, via mais fotos, das outras despedidas feitas lá no Sul e em MG....