novembro 04, 2008

Para Entender a Eleição

Se você quiser saber o resultado da eleição para Presidente dos EUA, não perca tempo lendo jornais daqui, procurando entender os colégios eleitorais, as formas de apuração, pesquisas, etc. O que você precisa saber está aqui, neste post!!!

Gastei a última hora (e não precisa de mais do que isto) fazendo algumas contas sobre a composição do colégio eleitoral, a partir do que as pesquisas por Estado dão como resultado das urnas nesta terça-feira. Os dados eu tirei deste site da CNN, que mostra o painel do país, para onde cada Estado está se inclinando, e o peso no colégio eleitoral. Clicando um pouco mais abaixo, dá para abrir o mesmo mapa com as últimas pesquisas de opinião por Estado. A partir daí, fiz os meus cenários.

A conclusão: o único Estado que interessa, entre todos os que vão falar ao longo do dia, é a Pensilvania. Segue a lógica:

1) Antes de mais nada, guarde este número em sua cabeça: 270. Este é o número de votos no colégio eleitoral que um candidato deve atingir para ser eleito.

2) Como panorama geral, assuma que os Estados menos comentados e com menor peso no colégio apenas confirmem o que as pesquisas projetam (eles aparecem com os tons mais claros de azul e vermelho). Com isto, McCain levaria o Arizona, Georgia, Arkansas e West Virginia; Obama, pela mesma lógica, levaria Nevada, New Mexico, Maine, New Hampshire, Colorado, Minnesota e Winsconsin. Ainda que estejam de azul claro, deixe os Estados da Pensilvania e Virgínia sob observação. Esta combinação de Estados dá 257 votos para Obama, 157 para McCain, 90 indefinidos e 34 tendendo para Obama (Virginia e Pensilvania).

3) Vamos começar pelo cenário difícil, para mostrar, no final, que a complicação não existe se Obama ganhar na Pensilvania. Assuma que as pesquisas estão erradas, e que McCain ganhou na Pensilvania. Isto faz com que McCain fique com 178 votos e apenas 13 votos tendendo para Obama. Neste cenário, as combinações que dão a vitória para Obama são: a) vitória na Virginia, obtendo os 13 votos que faltam; b) vitória ou na Flórida, ou em Ohio, ou em North Carolina, cada um destes Estados com delegados suficientes para eleger Obama no cenário básico; c) vitória de Obama em Indiana ou Missouri, combinado com vitória em Montana ou North Dakota (estas duas combinações totalizam 14 votos, que dão a vitória para Obama).

Logo, se McCain ganhar na Pensilvania, Obama tem que olhar para 8 Estados, onde 6 combinações poderão ainda lhe dar a eleição. Complicado, não é?

4) Agora, o mais fácil, assuma que Obama venceu na Pensilvania: Obama faz 278 votos no colégio eleitoral, e só uma vitória de McCain em todos os Estados indecisos, mais a reversão de algum Estado que até hoje aponte para Obama poderia lhe dar a vitória.

Eu acredito que pesquisas possam errar; eu não acredito que TODAS as pesquisas errem ao mesmo tempo sobre o mesmo assunto. Se Obama ganhar a Pensilvania, McCain precisa que as pesquisas na Florida, na Virginia, em North Dakota e em mais algum Estado de peso que esteja apoiando Obama estejam erradas. Sim, todas ao mesmo tempo!

Vai ser interessante acompanhar na televisão a apuração dos votos, mas acho que não teremos nada parecido com o que ocorreu na Flórida na última eleição de Bush. É muito provável que, na manhã de quarta-feira, ou mesmo no final da noite de terça, McCain faça o seu discurso reconhecendo a derrota para Obama.

Abraços!

Um comentário:

Chris disse...

Bah! Pois eu explico em menos de um parágrafo,não precisa de nada desta complicação!
O Red Skins perdeu ontem, em casa (e de muito), logo, haverá troca de partidos na Casa Branca.
Simples assim... Não sei porque o povo perde tempo e dinheiro com análises, pesquisas, etc.Só para complicar, mesmo! hahahaha